Nós crescemos!



Outro dia me peguei revendo fotos, cadernos, provas e o histórico escolar. Aí eu percebi que não parece, mas já faz tempo que a boa fase de nossas vidas acabou!

Quando eu era adolescente, adorava acordar ás 7:00 da manhã e sair de casa às 7:25 para estar no colégio às 7:30, morando a 650 m (informação do Google Mapas). E ficar ali, fingindo que estuda, fingindo que consegue se manter acordada, mas sempre se divertindo muito! O importante não era ser a melhor aluna da classe, era ter os melhores amigos do mundo.

E eu tinha. É difícil dizer o nome de todos e classificar como os mais importantes, porque cada um tinha a sua importância e a sua qualidade, mas todos eram amigos. Amigos para brincadeiras como o Bruno Henrique, para piadas sem a minima graça como o Nícolas Guedes, para compartilhar segredos como a Desiane Trindade,  a Beatriz Ferreira, a Isabella Assis. Posso dizer que tive amigos de todas as formas e jeitos, com particularidades como a maneira de se expressar do Andrey Santos, a inteligência do Lincoln e o melhor jeito irmão do Yuri.

Posso dizer também que tenho "pérolas" a contar junto com o Thomaz Guilherme, o Jeferson Santiago, o Pedro Cortez, o Henrique Fazolo e a Mayara Silva. Esses são aqueles que eu deveria me envergonhas das cenas juntos, mas não!

Dizem que fazemos amigos para a vida toda, mas nunca disseram que um dia eles iriam embora e o que permaneceria pela vida toda seria só a lembrança dos tempos juntos.

Hoje todos nós crescemos e cada um segue o seu caminho, a maioria eu não vejo e ás vezes trocamos um OI ou olhares na rua, quando cruzamos nossos caminhos. Mas eu sei que os dias que eu passei junto com eles serão inesquecíveis, serão as histórias a contar para os meus filhos.

Obrigado a todos vocês!



Acho que eu nunca fui suficientemente boa para ninguém. Acho que nunca fui uma boa filha, uma boa aluna, amiga, companheira, nunca fui uma boa namorada...e por isso que hoje eu escolho ficar aqui sozinha! Eu e eu mesma, somete com os meus pensamentos, com minhas palavras, com meus amores, meus sonhos, assim eu posso ser eu mesma sem machucar ninguém!

Agora eu sei que de nada adiantou, todo esforço para ser boa, todo esforço em ser simpática, isso tudo foi em vão por que ninguém nunca me notou ao lado. Mas o dia que eu disse que nada mais e ninguém mais me importava, vieram me criticar. Nunca me olharam, mas me criticaram.

Não hesitaram um só segundo, não pararam para refletir ou lembrar, apenas souberem que aquela era a hora em que todos seriam os certos e eu a errada, que eu poderia ser jogada na fogueira e queimar, como se tudo que eu fiz até aquele momento, nunca tivesse tido a minima importância.

Foi quando eu olhei para cima e vi o céu, estava lindo todo azul com algumas nuvens. E aí descobri que nada mais importava, eu poda ser sozinha, somente eu e o céu, para sempre! Assim não haveriam criticas, não haveriam hesitações, não haveria olhares maliciosos...mais nada.

E assim, eu fui feliz para sempre!

Um olhar


Ela parou de repente, todos que estavam na plateia olharam e se perguntava se aquilo fazia parte do espetáculo. Até aquele momento, realmente não fazia. 

O teatro estava lotado, o lote de ingressos da primeira semana de apresentações do solo de piano havia esgotado em seu terceiro dia de vendas. Nem ela sabia o quanto ela era importante para a cidade onde nasceu, cresceu e descobriu o tão bonito dom. Ela olhou antes para a plateia e não achou quem procurava, no meio daquela multidão de pessoas inquietas que ela não via a tanto tempo, ele não estava lá.

Era um lindo teatro, a luz baixa e amarelada que focava no piano, aquele primeiro piano que ela tocou quando pequena, enquanto o pai ajudava a manter o teatro funcionando. O carpete vermelho parecia o mesmo que costumava correr e o palco com piso de madeira ainda era o mesmo daquelas noites, ao som de Debussy e olhares de amor. 

Ela parou a música e todos se olharam, ouvi-se o sussurrar de questionamentos pelo teatro todo, poucos sabiam o porque ela estava estática enquanto olhava para a porta de entrada. Foi quando ele sentou, na ultima fileira de cadeiras do lado oeste do teatro e ela retomou a música. Ouvia-se a euforia com que ela tocava agora, parecia querer que o mundo ouvisse, parecia que estava gritando um sentimento para que o mundo ouvisse. 

A apresentação findou-se e todos aplaudiam seu pequeno fruto, que antes era uma delicada menina e hoje tinha tornado-se uma linda mulher com um talento digno de cada aplauso. Elogios corriam o teatro e ela dirigiu-se a porta, passou ao seu lado e dirigiu o ultimo olhar a ele, parecia que podíamos ver e até mesmo ouvir, continha naquele olhar todo amor e um breve adeus. 



Isso não pode estar acontecendo comigo!


Acordei assustada e olhei em volta, era só um pesadelo. Mas parecia tão real, a luz que reflete da lua em meu meu quarto, era a mesma que eu tinha acabado de ver, como isso seria possível? Olhei mais uma vez para ter certeza que estava tudo bem, e voltei a dormir.

Quando fechei os olhos novamente, eu pude ver...era você! A quanto tempo eu não via essa sorriso e esse lindos olhos castanhos, era mais que um sonho pois eu podia sentir o cheiro do seu perfume. Eu toquei para saber o quanto tudo era real, e descobri que podia ser real. Eu ainda não acreditava em tudo que estava vendo, até que eu ouvi:

- Como você chegou aqui? Eu senti sua falta!

Eu ouvi sua voz, como antes, como da primeira vez! E neste momento aquele sonho se tornou mais real do que nunca. Fomos levados ao jardim da escola, como no primeiro dia que nós nos vimos pela primeira vez. Estávamos a sós , com a beleza da primavera de Outubro de 97 e por um minuto desejei que o tempo parasse e pudéssemos ficar ali, para sempre.

Novamente, acordei, mas agora era o mais belo sonho. Eu sinto você aqui, parece que a luz da lua traz a paz do seu olhar, que saudades de você! Contrai os músculos, agarrei ao traves­seiro e enfiei a cabeça, mordi os lábios su­focando o grito mais profundo. Isso não pode es­tar acontecendo comigo!
Mas aconteceu! Eu não tive como evitar, você se foi e não sei quando vai voltar. Agora está do outro lado do mundo e eu aqui, sonhando com você. O primeiro pesadelo era real, você entrou naquele avião e foi embora e me deixou sozinha nesta madrugada.



Era uma vez...é assim que todo conto de fadas começa, com um príncipe encantado e uma linda princesa que nunca se viram antes, mas que se amam e vivem felizes para sempre. Mas e na vida real, como isso acontece? Eu não sei mais como isso acontece, sempre achei que meu príncipe encantado existisse e que um dia ele viria e tudo ficaria bem!

Com o tempo eu descobri que isso talvez não aconteça, que meu príncipe encantado encontrou com alguém no meio do caminho e desistiu de me buscar. E a bruxa má vive me falando, que eu nunca vou encontrar alguém que me ame de verdade, e que um dia eu vou me ver sozinha cuidado de gatos!

Não quero acreditar, eu não me importo que o príncipe encanto foi embora, eu só queria você aqui comigo! Se você é um príncipe, bem isso eu não sei, mas que eu quero viver o meu felizes para sempre com você, isso eu tenho absoluta certeza.


É complicado entender várias coisas ao nosso redor, mas a maior delas é o amor. Nunca sabemos exatamente quando ele chegou e menos ainda quando foi embora, nos pega desprevenido e bagunça a nossa vida. Foi assim quando eu te vi pela primeira vez, não imaginei que um dia pudesse gostar tanto assim, é simples demais e ao mesmo tempo extremamente complicado, me pego pensando em você e de repente me vejo sonhando com nós dois. Ah, se eu pudesse fazer parar, mas não posso, é involuntário, é como querer que meu coração parasse, como querer que o Sol não brilhasse mais...eu não posso mandar nessas coisas, não aprendi a controlar os meus sentimentos.

Mas e agora? Se não posso viver esse sonho, serei obrigada a enterrar os meus sentimentos? Serei obrigada a esquecer cada momento ao seu lado? Eu sei que meu mundo não terá mais a mesma graça quando você partir e eu não preciso nem ao menos testar, para ter a certeza que isso é real em mim...você é um sentimento real em mim.

É como ser adolescente de novo e voltar a sonhar com o príncipe encantado, com o amor verdadeiro. Quando crescemos, nossos sonhos mudam aos poucos, e o príncipe encantado muda para marido perfeito, o amor verdadeiro já não é mais tão necessário assim, queremos apenas que seja amor, mas comigo não foi assim...sinto que continuo a mesma adolescente, como os mesmos sonhos e as mesmas expectativas de quando eu tinha meus 15 anos, de quando meu princípe encantado ainda não tinha fugido com o baterista da minha banda!

O sentimento que trago hoje por você, é bem semelhante ao que tinha por ele, sei que você pode não ser meu princípe encantado e que talvez nem queira, mas é tão bom sonhar com isso, que um dia você estará aqui, só para me fazer sorrir e viver comigo, meus momentos de lucidez e utopia.

AMAR




Hoje eu descobri que o amor vai além do que podemos imaginar, eu por exemplo sempre me imaginei amando à um outro alguém, porém não e bem assim. O amor se manifesta em nossas vidas por um acaso, e não precisa necessariamente que seja outra pessoa, pode ser o amor por um dom, por um serviço, o amor por algo.

E quando o que amamos e parte de nos? E o que ultrapassa todas as barreiras, e o que nos faz enxergar alem de nossa própria visão, o que nos faz querer ir alem do horizonte, caminhar em busca da felicidade contida no fim de um arco-íris. Não tem como dizer não, não existe possibilidades de abandonar esse amor, e como uma tatuagem: nuca mais ira sair de você.

Uma paixão infinita por escrever, acho que e isso que ainda me leva a ter razoes de buscar e acreditar! Mas eu sei, eu sempre soube que o amor verdadeiro existe em algum lugar, e eu vou busca-lo, vou lutar por ele e sei que vou encontrar ou deixar ele me encontrar.

Ainda não sinto esse amor, mas sei que estou preparada para ele. E quando ele chegar, estarei aqui para ser o porto seguro, para ser a sua melhor amiga, para mostrar a verdade da vida, ensinar o valor de um amor verdadeiro, para ser seu tudo quando achar que não existe mais nada.

Um amor sem medidas, que vai alem da nossa compreensão. Um amor que não sabe o que é distancia. Um amor que esta preparado para enfrentar sua maiores guerras e voltar delas mais forte do foi. Um amor, que e único e verdadeiro!