É complicado entender várias coisas ao nosso redor, mas a maior delas é o amor. Nunca sabemos exatamente quando ele chegou e menos ainda quando foi embora, nos pega desprevenido e bagunça a nossa vida. Foi assim quando eu te vi pela primeira vez, não imaginei que um dia pudesse gostar tanto assim, é simples demais e ao mesmo tempo extremamente complicado, me pego pensando em você e de repente me vejo sonhando com nós dois. Ah, se eu pudesse fazer parar, mas não posso, é involuntário, é como querer que meu coração parasse, como querer que o Sol não brilhasse mais...eu não posso mandar nessas coisas, não aprendi a controlar os meus sentimentos.

Mas e agora? Se não posso viver esse sonho, serei obrigada a enterrar os meus sentimentos? Serei obrigada a esquecer cada momento ao seu lado? Eu sei que meu mundo não terá mais a mesma graça quando você partir e eu não preciso nem ao menos testar, para ter a certeza que isso é real em mim...você é um sentimento real em mim.

É como ser adolescente de novo e voltar a sonhar com o príncipe encantado, com o amor verdadeiro. Quando crescemos, nossos sonhos mudam aos poucos, e o príncipe encantado muda para marido perfeito, o amor verdadeiro já não é mais tão necessário assim, queremos apenas que seja amor, mas comigo não foi assim...sinto que continuo a mesma adolescente, como os mesmos sonhos e as mesmas expectativas de quando eu tinha meus 15 anos, de quando meu princípe encantado ainda não tinha fugido com o baterista da minha banda!

O sentimento que trago hoje por você, é bem semelhante ao que tinha por ele, sei que você pode não ser meu princípe encantado e que talvez nem queira, mas é tão bom sonhar com isso, que um dia você estará aqui, só para me fazer sorrir e viver comigo, meus momentos de lucidez e utopia.